quinta-feira, 5 de maio de 2011

Moda e Ecologia: dois pesos e duas medidas

Desde que a Arezzo lançou sua coleção de inverno chamada “Pelemania” e com ela suscitou a ira de centenas de pessoas que eu fiquei com um “gato” entalado na garganta.
Eu pessoalmente confesso que tenho aflição de usar pele de bicho, da mesma maneira como tenho aflição de ver um frango assado rodando nas televisões de cachorro espalhadas pelas padarias e vendas de qualquer cidade brasileira.
Fiquei assustada com o ódio divulgado pela internet como se a Arezzo estivesse cometendo o maior crime ambiental desde o último vazamento de óleo no mar de algum petroleiro no Golfo do México, na Noruega ou no Rio de Janeiro.
Acabo de ver no site www.arezzo.com.br que a empresa tomou uma decisão madura, reitrou a campanha do ar e também todos os produtos, sejam de pele natural ou sintética, das lojas. Então esse é o momento de novamente levantar a questão.
O que mais me impressiona nessa discussão é que em alguns dias milhares de pessoas aderiram a causas de boicote a empresa Arezzo nas redes sociais por estarem vendendo pele de animais. Será que essas milhares de pessoas são todas vegetarianas?
Será que essas pessoas sabem que uma das coisas que mais agridem o meio ambiente é o processo para tingir as calças jeans? Será que essas milhares de pessoas não têm sequer uma calça jeans no seu guarda-roupa?
Abra sua bolsa, que provavelmente deve ser de couro de boi, aquele bicho que não é tão fofinho quanto uma raposa, mas que também é dele que tiram aquela picanha suculenta que você compra no Pão de Açúcar. Sim, sua carteira também é de couro, assim como seu sapato, que você pagou mais caro porque dura mais.
Para se produzir a seda o casulo é cruelmente fervido com a larva dentro. Você sabia disso?
Inúmeros perfumes, xampus e hidratantes usam em sua fórmula óleos retirados do fígado de animais como o porco, vacas e ovelhas. A queratina que existe no esmalte que você pinta as unhas ou no creme que você passa no cabelo é proveniente do chifre ou do casco de certos animais.
Então por que a Arezzo é a grande vilã do mundo da moda? Agora surgem novos protestos também a marca Les Lis Blanc que usou pele de coelhos e também a Colcci.
Por que essas pessoas não fazem piquete em frente as churrascarias brasileiras, em frente aos açougues, aos supermercados, as avícolas? Ou você pensa que os Nuggets que você come no McDonalds nascem em árvores?
Se matar bichinhos é crime, vamos deixar então os ratos tomarem conta da cidade. Não vamos mais tomar antibióticos, afinal de contas a bactéria também é um bichinho com vida.
Demagogia pouca é bobagem. Pra poder defender essa causa a pessoa tem que ser vegan, não usar nenhum produto de origem animal, ter uma conduta ambientalista que honestamente não conheço sequer uma pessoa que tenha.
Alguém que não mate uma barata, um pernilongo, um ser vivo. Eu não conheço ninguém assim.
Eu infelizmente como carne, apesar de desejar profundamente ser vegan quando crescer. Vou continuar não usando peles nas minhas coleções. Cada vez mais vejo que a minha história é trabalhar com o algodão, usar sacolas ecológicas e reaproveitar materiais.
Acabo de ler a notícia de que o Deputado Weliton Prado (PT-MG) tem um Projeto de Lei para tornar crime o uso de peles de animais nos eventos de moda do Brasil (http://bit.ly/kSIfbL). Ninguém considera o couro como pele de animal? Proteção aos animais não pode ter dois pesos e duas medidas. Acho que é o momento de abrirmos para uma discussão mais ampla sobre um assunto que promete ser tão polêmico quanto a proibição ou não do aborto no Brasil.
Em tempo: eu mato baratas e adoro fritar pernilongos com aquelas raquetes de eletrochoque!

2 comentários:

  1. Não como carne de vaca ou de porco, mas como galinha. Não compro pele, mas tenho carteira de couro e adoro comprar peças 100% seda, sem nada sintetico. Não uso marfim , mas uso coral... Ou seja, sou totalmente dois pesos e duas medidas, tenho consciencia disto e não sei como resolver.E nem tenho a ilusão de estar "pelo menos ajudando um pouquinho impedir a sacrificio de animais".

    ResponderExcluir